23/08/2016

UM REGRESSO COM COMPOTAS E UM MÊS CHEIO DE COISAS BOAS

Queridos Amigos

Agosto foi um mês completamente transformador. 
Andei pela América do Sul, Brasil e Perú, de onde trouxe novas e maravilhosas ideias de culinária que vos irei apresentar depois de fazer os devidos testes e experiências (só vos digo...no Perú come-se maravilhosamente), mais consciência ambiental depois de constatar que nesses países já não há água potável nas torneiras e que a quantidade de garrafas de plástico deitadas ao lixo diariamente é astronómica e uma vontade imensa de partilhar convosco as imensas experiências que transformaram a minha vida.

Com o regresso ao meu país, cheia de gratidão por ter uma vida digna, ter uma casa maravilhosa e acolhedora, ter água potável para beber e não ver miséria ao meu redor como vi nesses países, por vezes agressivamente contrastante com o luxo asiático, venho muito mais activista e decidida a aliviar cada vez mais a minha pegada ecológica e ajudar no que me for possível a nossa Mãe Terra, o nosso Planeta cada vez mais mal tratado.

Com o final das férias, há também que reabastecer a despensa e por isso adoro vaguear nos mercados bio, onde faço sempre umas comprinhas muito boas. 
Aqui em casa adoramos um lanchinho bom e hoje, o dia do meu regresso ao trabalho, foi também dia de fazer compotas para oferecer e rechear a despensa para o ano inteiro.
Vou partilhar convosco as receitas, tão fáceis de fazer.


COMPOTA DE FIGO
 

Deram-me uma grande caixa de figos (dos verdes) e como toda a família adora o doce de figo, toca a fazer compota. Fiz na bimby.
Como eram muito doces, para cerca de 800g de figos (de cada vez), adicionei 100g de açúcar integral de cana bio, que foi suficiente.
Lavei os figos muito bem e fiz com a casca. Apenas retirei o pé.
Coloquei na Bimby e triturei primeiro cerca de 5 segundos a velocidade 5, para misturar bem os figos com o açúcar e depois foi na velocidade 2, 100º , durante 40 minutos.
Quando estava pronto, deitei nos frascos, fechei-os bem e virei-os de cabeça para baixo, para assim esterilizar também a tampa e durarem bastante tempo…o que não vai acontecer pois já todos têm destino.

COMPOTA DE TOMATE

Para mim o melhor tomate para fazer doce é a variedade coração de boi. Tinha comprado uns bem madurinhos no mercado bio já com esta intenção.

Para cerca de 600 g de tomate, muito bem lavado e sem pele, adicionei 150 g de açúcar integral de cana bio, um pau de canela e 3 cravinhos da índia.
Foi tudo para a Bimby, 30 minutos, 100º a velocidade 2 e depois com alguma paciência retirei os cravinhos e o pau de canela, triturei 5 segundos a velocidade 5 e cozeu durante mais 10 minutos em Varoma, velocidade 2.
Nesta fase da Varoma o melhor é irem vendo o vosso doce. Convém deixar ainda um pouco “liquido” porque ao esfriar fica sempre mais “duro” e estas compotas são boas é bem cremosas.



Provei-os ao lanche sobre tostas de trigo sarraceno e com um sumo de cenoura, maçã e toranja.

Aprovados :-)

Agora vamos falar de trabalho...

Regressam os workshops já em Setembro, embora vos vá surpreender com um wshop temático de comida sul americana, mas, como vos disse, primeiro há que fazer algumas adaptações e experiências. Será em Outubro, juntamente com o Indiano e Mexicano. TOP !!

A Agenda detalhada de Setembro estará disponível ainda esta semana mas podem ir já vendo os wshops que vou ter. vai haver uma redução de valor para quem frequentar 2 ou mais wshops durante o mesmo mês.

Quando receber a newsletter e quiser inscrever-se para algum dos workshops, NÃO RESPONDA a este email. Várias pessoas têm ficado sem resposta, porque o que recebe na sua caixa de correio é uma newsletter e é gerida pela blogsopt. Para inscrições, é necessário enviar email para cursovegetariano@gmail.com



Abracinho grandioso no coração de cada um de vós e até já
Isaura faria

25/07/2016

Vou de férias mas fica um mimo para a vossa praia

Queridos Amigos

Neste fim de semana, com casa completamente cheia, realizaram-se os últimos wshops antes de ir de férias. É gratificante a quantidade de pessoas que me procuram com intenção de aprender hábitos saudáveis para a sua alimentação.
Sinto que tenho essa missão e tento desempenhá-la com todo o meu amor. Acho, sinceramente que o faço :-)



Estou de abalada até ao outro lado do mundo, para umas bem merecidas férias, depois de um ano tão intenso de trabalho, e estou super entusiasmada porque vou conhecer novas culturas, novas gentes e trazer imensas ideias para cozinhados novos.
Obviamente que irei partilhar tudo convosco :-))

Regresso aos wshops em Sertembro e até lá fiquem com um imenso abracinho de amor em todos os vossos corações.

Vai aqui um miminho para as vossas férias :-)

Excelentes para levarem para a praia, e para todos os outros lados :-) top, mesmo!!





Snack 1

Ingredientes:

       Tâmara medjol sem caroço (ou alperces, ou ameixa, ou figo) - 4
·          Oleaginosa a gosto  - (caju cru, ou amêndoa, ou avelã, ou nozes…), previamente                demolhadas – ½ chávena
·           ½ chávena de bagas de goji
·           Cacau cru – 1 c. chá
·           Sementes de sésamo e / ou coco ralado, para envolver

Modo de preparação:

Triturar tudo até fazer uma pasta. Fazer umas bolas e guardar no frio. Ir consumindo moderadamente.

Snack 2

Ingredientes:

·         Grão cozido - 1 chávena
·         Cenoura crua - 1
·         Tâmaras sem caroço (ou alperces, ou ameixa, ou figo) - 10
·         Oleaginosa a gosto  - (caju cru, ou amêndoa, ou avelã, ou nozes…) - 1/2 chávena
·         Farinha de alfarroba - 2 c. sopa
·         Sementes de sésamo e / ou coco ralado, para envolver

Modo de preparação:

Reduzir o caju a pó. Adicionar os restantes ingredientes (excepto as sementes de sésamo /coco ralado) e triturar tudo até fazer uma pasta homogénea que dê para moldar umas pequenas bolas. Passar pelas sementes e guardar no frio.

Snack 3

Ingredientes:

·         Caju em pó – 1/2 chávena
·         Arroz integral tufado – ½ chávena
·         Tâmaras medjol (ou alperces, ou ameixa, ou figo) - 5
·         Geleia de arroz – 1 c. sopa
·         Gengibre fresco – 1 c. café
·         Cardamomo em pó – ½ c. café

Modo de preparação:

Triturar tudo até ter consistência para amassar e moldar. Fazer um rolo, tipo salame, e colocar no frio. Na altura de servir, cortar em fatias.


21/07/2016

Sai uma sopa fresquinha que o calor aperta

Queridos Amigos

Dizem que vem mais calor para o fim de semana, então, nada sabe melhor que uma boa sopa bem fria, geladinha mesmo.
Adoro esta sopa de meloa, mas podem fazer também com melão que fica deliciosa.
Podem fazer na Bimby, numa liquidificadora, com a varinha mágica, mas façam pois vão adorar esta contraste.

SOPA FRIA DE MELOA  (Receita do Livro 1 de Um Curso em Receitas)  

                          


Ingredientes:  
(para 4 pessoas) - aconselho a fazer o dobro, pois vão querer repetir


Meloa madura sem casca e sem pevides - 1
4 Folhas de hortelã
Pinhão - 2 c. sopa
Sal, curcúma e pimenta preta q.b.
Fio de azeite
Agua mineral gelada ou água e cubos de gelo – 2 copos

Modo de preparação:  

Triturar tudo no liquidificador,  Deitar numa taça e enfeitar  a gosto.
Servir frio.

* Opções: podem enfeitar com bocadinhos de tomate seco, com cebolinho, rúcula, germinados, flores comestíveis, amêndoa granulada, etc....

Vou de férias muito em breve, voltarei aqui com alguns miminhos ainda antes de "abalar"

Abracinhos do coração
I.F.

13/07/2016

COGUMELOS * um amor à minha mesa

Ando nas nuvens da delícia com os Kg de Cogumelos Pleurutos, que tenho encomendado ao querido amigo da My Little Mush, pois são imensas as variantes que faço com eles.


Podem contactar o Cristiano e fazerem a vossa encomenda. São a 7€ o Kg e valem cada grama pois consomem-se todos. Cultivados com amor e sem qualquer pesticida, só poderia sair daqui algo muito BOM.

Como é sabido os cogumelos são óptimos para a nossa saúde, por isso vamos investir no seu consumo.
Apenas uma advertência: devem ser consumidos, SEMPRE, cozinhados.

São tão tenrinhos que apetece comer a toda a hora.

Deixo-vos algumas receitas que tenho feiro.  

PLEUROTOS COM TRIGO SARRACENO E "AZEITONAS" DE GRÃO



Estufei os cogumelos com bastante tomate e cebola. temperei com sal, curcuma e pimenta preta, adicionei uma malagueta e a gordura utilizada é sempre o azeite bio de 1ª pressão a frio. 

Tinha cozido trigo sarraceno, naturalmente sem glúten e com um valor nutritivo incalculável e misturei ao estufado de cogumelos.  Tinha uma espécie de "azeitonas" de grão que é nada mais nada menos que grão cozido e temperado como se fosse azeitonas, assim dá para ir petiscando durante as refeições. 
Tempero esse feito com muito alho, sal, curcuma e pimenta, folha de louro e um limão partido aos pedaços. Um bocadinho de azeite e frigorífico com as azeitonas de grão.


Tinha essas "azeitonas"  retirei um bocado, como o molho, e juntei a umas beldroegas divinais que tenho comprado pois também estamos na época delas (fonte da natureza riquíssima em Omega 3) 

Acompanhou com um tremocinhos também temperados na mesma moda e um must sumo detox de pepino (1/2), salsa (1/2 molho) e aipo com rama e folha (1 talo generoso), tudo batido (não centrifugado) com um copo grande de kombucha. Podem substituir a kombucha por sumo de maçã (sem açúcar adicionado) ou água fresquinha.  Todos os ingredientes das minhas receitas são orgânicos, não contendo qualquer tipo de pesticida e assim naturalmente ricos em micronutrientes.  



PLEUROTUS À BULHÃO PATO 

Ingredientes: 

Cogumelos pleurotos  Alho – 1 cabeça 
Coentros – 1 molho 
Azeite, sal, pimenta e curcuma, q.b. 
Sumo de limão 

Modo de Preparação: 

Cortar os pleurotus aos bocadinhos e os caules, se forem tenrinhos, cortá-los às rodelas (estes foram 100% utilizados) 
Cortar os dentes de alho às rodelas finas ( a quantidade é a gosto…eu ADORO, alho e coloco sempre muito) 
Numa frigideira colocar o alho, um pouco de coentros picados e azeite. Temperar com o sal, curcuma e pimenta preta, e deixar levantar fervura para o alho e os coentros largarem o seu sabor e aroma. Adicionar os cogumelos e deixar estufar durante uns 5 a 8 minutos, até estarem tenrinhos. 
Quando estiver pronto, juntar os restantes coentros picados e o sumo de limão a gosto. 
Serve com pão que fica uma maravilha molhado no molho. 
Aqui utilizei tostas sem glúten Pain des Fleurs, que adoro também.



SALADA DE BELDROEGAS E FIGOS (com uns pleurotus à mistura)





Ingredientes:  

Beldroegas Figos Germinados de feijão mungo (os tradicionais rebentos de soja, estes feitos em casa)  
Molho:  
Azeite, vinagre de sidra, sal, curcuma, pimenta preta e 1 c. sobremesa de levedura de cerveja.  

Acompanhei com um salteado de pleurotus, salteados em azeite, tamari (molho de soja bio e sem glúten) e muito alho  TOP!!

02/07/2016

LEITES, QUEIJOS E MANTEIGAS - 9 JULHO - LISBOA

Queridos Amigos

Para quem fez a INICIAÇÃO AO VEGETARIANISMO, aqui tem o complemento para que tudo possa fluir na perfeição. Termos alternativas para a carne e peixe é excelente. Então, quando quero ter também uma alternativa para os lacticínios? Como faço?

Vou falar da "famosa" transglutaminase, uma substância que serve para compactar, cada vez mais presente nos queijos, vou explicar-vos todo o processo do leite, desde que sai da vaca até chegar à prateleira do supermercado e vou falar das evidências que provam que os lacticínios e seus derivados em nada contribuem para a nossa saúde e que são apenas sustentados por uma indústria poderosa, sem qualquer tipo de ética, onde o único objectivo é lucro.

Muitas pessoas, incluindo cada vez mais crianças, se queixam de patologias directamente relacionadas com o consumo de produtos lácteos, nomeadamente todo o tipo de alergias e sintomas respiratórios, entre outras, sem saberem que o consumo de lacticínios é o principal responsável.

As populações são aconselhadas a consumir leite também para a prevenção da osteoporose, mas não sabem que a sua pasteurização destrói a fosfatase, uma enzima essencial à absorção do cálcio. 
De fácil conclusão é que nos países ocidentais, onde se consomem muitos lacticínios há uma grande incidência de osteoporose, enquanto que nos países asiáticos, onde praticamente não se consome leite, quase não existe osteoporose.  

Aprender a fazer os seus leites vegetais, estes sim, muito ricos em cálcio, manteigas vegetais, isentas de gordura saturada que encontramos na manteiga animal (além de antibióticos e hormonas), cremes e queijos deliciosos e muito saudáveis, que vão fazer as suas delícias. 
Até Bruschetas vamos ter, com queijo derretido no forno.

ALTERNATIVAS AOS LACTICÍNIOS 


Data: 9 de Julho - 6 VAGAS
Local: Lisboa - Lumiar
Horário: 10h - 14h
Donativo: 30€ (Inclui: parte teórica, manual com receitas, degustação de todas as receitas e ingredientes de origem biológica)

Formadora: Isaura Faria (certificada pelo IEFP)


As inscrições* e informações de qualquer workshop são feitas para: 
cursovegetariano@gmail.com / 913 325 060


*Vagas Limitadas: a inscrição só é confirmada após sinalização para IBAN a indicar